quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Filha do mal

Este é o título do filme que em ingles entitula-se "The devil inside", que aborda o exorcismo de Maria, mãe da jovem Isabelle e que está presa num hospital para doentes mentais, pelo fato de ter matado três pessoas violentamente durante uma sessão de exorcismo. Por 20 anos ela esteve presa, e então sua filha decidiu investigar para saber o que de fato ocorreu. Ela precisa ter a certeza se sua mãe é uma psicótica ou sofre de influência demoníaca.

O filme foi uma produção independente, e ganhou público apostando no Maketing. A estreia ocorreu no recinto de uma igreja católica e atores trajados de padres se misturaram aos presentes para ver se ocorria alguma possessão durante a projeção; entrevistaram pessoas da plateia que assumiram ter adorado a maneira como ficaram perturbadas ao assistirem.

Enquanto a cinematografia insiste no tema e leva o público a acreditar que a possessão demoníaca é uma realidade, há homens de Deus fazendo justamente o contrario. Afirmando que os problemas psicológicos e psicóticos são a causa da loucura e da ausente personalidade humana. Enquanto os de fora insistem para crermos os de dentro (por causa dos abusos na questão espiritual) insistem para desmitificarmos e o povo em total confusão de informações não sabe para onde correr.

Concordo que há uma grande inversão de enfoco, mas não podemos obscurecer um inimigo real. Nosso foco central é Cristo e já vencemos a morte em o inferno por estarmos nele. Mas, e os que não estão, e não podem vir a Cristo por causa do poder maligno que opera em sua vida? Vamos colocar uma venda para o assunto e achar que essas pessoas não vêm porque não querem? Não. O fato é porque estão presas e, uma das prisões é, a demoníaca.
Maria Madalena quando foi recebida por Jesus estava possuída por sete demônios que habitavam em seu corpo, que a impeliam a prostituir-se. Para que ela se tornasse uma discípula, foi necessário expulsar os demônios para que ela pudesse estar completamente LIVRE, e assim poder segui-lo e aprender dele. Muitos andam presos e nem tem consciência disto, pior ainda, muitos dos líderes atuais também não sabem.

No filme Filha do mal, Isabela procurou ajuda de dois padres do Vaticano, experientes em exorcismo, que convencionaram um método científico-religioso, com ajuda de computadores para identificar os quatro poderosos demônios que possuíam sua pobre mãe. Será que a autoridade da qual fomos investidos está tão precária, que precisamos inventar métodos não convencionais para esta avaliação? O Espírito de Deus ainda fala conosco, para nos fazer saber o que é oculto aos olhos em nossa dimensão? Vejamos o que Jesus enfatizou. Quando enviou os seus discípulos de dois a dois e eles voltaram esfuziantes porque os demônios lhes eram sujeitos, Jesus não negou que as possessões existiam. Ele não disse a seus discípulos que, o que eles viram foi um transe psicótico. Ele insistiu que, ter os demônios sujeitos não era o mais importantes, por que isso era natural de acontecer, por causa da autoridade do nome pelo qual foram enviados. Pelo poder do Nome que é sobre todo o nome foi que tudo aconteceu e eles estavam sendo ensinados a conhecer. A alegria maior deveria ficar por conta dos seus próprios nomes estarem escritos no livro da vida, significando que venceram o mal em sua vida, isto é, o mal não mais os dominava e por isso tiveram real vitória.

O fato é que hoje o teatro eclesiástico ganhou plateia e as pessoas gostam de assistir aos exorcismos públicos como se isso fosse de suma importância. Pensando que estão apenas fazendo marketing do poder de Deus, enganosamente, tornam-se marionetes do inferno.

Conheço um grande pregador, que em determinado dia, foi pregar em uma igreja e assim que começou a falar, uma pessoa levantou-se da plateia com grande fúria para ataca-lo; ele apenas estendeu a mão e ordenou ao espírito que a estava possuindo, que parasse. Os passos estancaram e a pessoa ficou imobilizada durante todo o restante da preleção. Após o término, a pessoa foi liberta em nome de Jesus, para a Glória do Todo-Poderoso, sem alarde, sem show. A autoridade que nos foi investida por Jesus é para ser utilizada, sobretudo para libertação dos cativos e não para a glória de homens ensimesmados, que se denominam os bambambãs  da história, como detentores de um poder que não lhes pertence. Jesus deixou bem claro quando estava sendo interrogado por Pilatos antes da sua crucificação “Você tem apenas a autoridade que vem do meu Pai”. Tudo que somos e que temos provêm do Pai das luzes, portanto a Ele, a Glória a Honra e o Louvor.

Coloco em questionamento a autoridade que estamos buscando hoje, como igreja de Deus na terra. Dói a minha alma quando vejo pessoas opressas buscando alívio em medicamentos, buscando vida em fontes de morte. Para vivermos o novo tempo, precisamos ser revestidos de autoridade e poder concedidos por Deus à sua igreja para sermos fiéis testemunhas como salientou Jesus, na Grande comissão que deu a seus discípulos. Os cativos precisam de libertação, os doentes precisam de cura, os tristes precisam de óleo de alegria, os defuntos espirituais precisam do Espírito Vivificante. E nós que enxergamos esta deficiência o que estamos fazendo?

Deus tenha misericórdia de nós.

Denise F Passos

4 comentários:

  1. É, infelizmente algumas pessoas pensam que são donas do poder que é de Deus, e fazem show p/serem reconhecidas. Um abraço amiga.

    ResponderExcluir
  2. Bem interessante seu documentario.

    ResponderExcluir