sábado, 1 de janeiro de 2011

                 Noção de perigo
Todos nós gostamos de ouvir os pais contarem nossas proezas realizadas na infância. Uma peraltice aqui, uma frase engraçada ali, um ato de bravura meio desengonçado e, outros tantos que fazem parte da grande lista dos pais corujas. Lembro-me sempre de ouvir a minha mãe contar que eu tinha por volta de dois anos de idade quando fomos ao porto do Rio de Janeiro, esperar meu tio que havia estado na Holanda por dois anos. Toda a família reunida para este encontro emocionante e enquanto avistávamos o imenso mar na chegada do grande navio, a única coisa que eu pronunciava era “quanta água, quanta água” e, fazia uma forca enorme para me jogar no mar, pelo que a minha mãe não deixou ninguém me segurar, com receio de que eu fosse mais rápida de que quem estivesse comigo nos braços. Sem noção alguma do perigo do oceano, sem entender a grandeza do mar e a profundidade que tem, eu apenas querida me jogar na água, sem me dar conta que aquela água era diferente em tamanho e em profundidade da poça de água que se formava no quintal nos fundos de nossa casa, onde eu mergulhava nos dias chuvosos, quando alguém esquecia a porta da cozinha aberta.
Hoje entendo que a única coisa que minha mãe queria, era me proteger, mas, talvez eu tivesse ficado com muito brava no momento. Ela não me permitiu deliciar naquela água tão convidativa. Eu teria saltado, nadado, batido na água até fazer muitas bolhas, mas, certamente, teria morrido. Assim também, é o cuidado de Deus, quando queremos brincar com o perigo. E se vocês pensam que temos total noção do risco que corremos, ledo engano. Todo perigo que nos cerca, vem disfarçado com beleza, cultura, entretenimento, etc. Nossos olhos só querem enxergar a parte boa, a parte do prazer. A morte que bate a porta, não vemos, é ruim demais para ser visualizada. Não temos controle da situação depois de enredados.
Quem nasceu nos anos 50 lembra do seriado, “Perdidos no espaço”, onde uma família de cientistas mais o doutor Smith e, um robô desengonçado viajavam pelo espaço sideral na tentativa de voltar ao nosso planeta. Este robô tinha síndrome de cão de guarda, pois, quando algo estava errado, ou algum inimigo se aproximava, acendia luzes, rodava os braços rodava da cintura para cima e começava a berrar “perigo, perigo, perigo...”
Da mesma forma o sensor que em nós foi implantado, chamado consciência, está alerta para os grandes perigos que se apresentam em nosso caminho, reagindo como alarme por causa da nossa percepção ofuscada pelo deslumbre ilusório, porém, todos nós sabemos muito bem o que é certo e errado e devemos dar atenção a este alarme natural.  A barreira de recalque funciona perfeitamente em nós. O que não entendemos é o tamanho da consequência avassaladora que corre desembestada como avalanche, capaz de prender e sufocar a vida. Por isso, eu sou adepta do ditado popular “É melhor prevenir do que remediar”.
No livro do Gênesis, capítulo 4, antes de acontecer o primeiro homicídio, um alerta foi dado a Caim, devido à inveja que nutriu por Abel, seu irmão.   “Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta e sobre ti será o seu desejo, mas, sobre ele deves dominar.”
O perigo que estava à porta, permanecia do lado de fora. Só Caim poderia abrir esta porta cuja maçaneta só existe do lado dentro, com o mau procedimento. Enquanto permanece do lado de fora, temos o domínio, quando consumado, torna-se realidade e domina o homem, algemando-o a situações que só Deus pode reverter. E pela imensurável graça em que somos envolvidos, encontramos força necessária para dominar e estar outra vez acima das situações difíceis da vida.
Desejo a todos um feliz 2011. Que as bênçãos e o cuidado do Senhor estejam sobre a nossa vida!




Denise Passos

5 comentários:

  1. Deus abencoe sua vida Denise. Gostei.

    ResponderExcluir
  2. Seria tão bom se nossas mães ainda pudessem nos segurar apertados em seus braços nos impedindo assim de pular no mar, de nos afogar nas decisões erradas que muitas vezes tomamos, porque decidimos girar essa tal maçaneta que está do lado de dentro.
    Feliz Ano Novo minha irmã querida. Que o Senhor continue te abençoando muitíssimo.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Louvado seja Deus pela vida de nossas mães que muitas vezes nos salvou a vida não somente nos segurando, mas intercedendo por nós em horas apropriadas.
    Mulheres maravilhosas que Deus coloca nas nossas vidas.
    Lindo Denise. Não deixe de escrever.
    Um grande beijo...

    ResponderExcluir
  5. Louvado seja Deus que nos enviou o Espírito Santo que nos convence do erro, da tentação que estar por vir, que nos convence do pecado, é ele que acende o alerta, ou seja, a luz vermelha de que algo é perigoso, que não podemos mergulhar pois o mar é fundo e podemos morrer. Muito bom seu artigo. Parabéns. Paz.

    ResponderExcluir