domingo, 30 de janeiro de 2011

Ela me ensinou a amar a Deus


     Em algumas matérias postadas no meu blog, falei sobre minha mãe, como uma espécie de agradecimento por todo o cuidado que ela teve com meus irmãos e comigo. Um forte desejo de escrever sobre ela, de falar sobre as suas virtudes, não me saia da mente. O que eu não sabia é que ela seria levada de mim tão cedo.
     Aliás, no fundo nós sabíamos, pois, fomos avisados. Deus cuida dos seus em todos os momentos e ajuda a ser menos dolorida a nossa dor, que vai se tornando menor dia após dia. Minha mãe teve muitas limitações, pouco estudo, mas, era dotada de inteligência e força de vontade. Eu e meus irmãos fomos para a escola primária, já sabendo ler e escrever, e contar até 1000, do que ela se orgulhava muito e nós também. Ela me ensinou a declamar poesia, que comecei aos quatro anos de idade e hoje declamo poesia com cinco páginas. E todas eram de Mário Barreto França, nosso poeta predileto. Ela se orgulhava dos filhos, da educação rígida que deu. Ela e meu pai nos ensinaram a ser pessoas honestas e de bom caráter. Nada passava despercebido. Boa esposa e mãe. Além de cuidar da família, sempre teve os agregados que de uma forma ou outra ajudava, alguns até chegaram a ser hospedados em nossa pequena casa.
     Ela gostava de brincar conosco. As brincadeiras de criança da minha época eram excelentes. Lembro-me de um dia que nós brincamos de pique esconde lá em casa. Meu pai pulou a janela e se escondeu no quintal, foi logo achado por mim, mas, a minha mãe, ninguém achou. Não sei como, mas, ela entrou no guarda roupa e colocou as cobertas na frente e ninguém a achou. Tivemos grandes momentos em família. Nosso café da manhã dos sábados foi marcante. Era o dia que o meu pai estava em casa, então se tornava festa, tínhamos tempo de comer à vontade e jogar conversa fora. Até hoje eu gosto de café da manhã em família.
     Porém, o maior legado que meu pai e ela nos deixaram, foi o fato de terem nos ensinado a amar a Deus sobre todas as coisas. Meu pai foi pastor da mesma igreja por mais de 30 anos e ali, eu e meus irmãos crescemos, vendo a minha mãe como preciosa auxiliadora no ministério dele. Grande parte do que ele foi como pastor, deve-se a ela. Eu, a filha mais velha, fui companheira dos dois e aprendi dos dois lados. Com papai fiz meu primeiro curso de Teologia, aos 14 anos de idade, eu o acompanhava as visitas, aos cultos ao ar livre, e as convenções de ministros, além de algumas vezes ir ao rancho na Marinha onde ele trabalhava, só para filar a bóia. Nós perdemos as contas de quantos pastores ele formou e que hoje estão espalhados pelo mundo. Com minha mãe aprendi a lidar com a parte social da igreja, a ver a necessidade das pessoas e de alguma forma supri-la. Desenvolvi o talento de trabalhar com mulheres na igreja, dando estudos e pregações. Também foi com ela que aprendi a cantar, a recitar e a ser uma mulher de grande fé, que vence as batalhas em oração. Um grande legado. Esta é a melhor herança que eu e meus irmãos podemos ter.
     Além da grande saudade que ficou e vai perdurar enquanto viver, lamento o fato de que, daqui por diante, não terei ninguém que ore por mim com tanto amor, como minha querida mãe orava. A oração das mães move o coração de Deus. Regada com amor e desprendimento, além de uma grande renúncia.
Ilma de Almeida Figueiredo 27/10/1933 a 25/01/2011
Obrigado pelo carinho de todos.
Denise Figueiredo Passos
    

     
   

6 comentários:

  1. vlw dona D que DEUS te abençoe muito!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Querida irmã Denise,

    A Paz do Senhor,

    É com pesar que recebi a notícia do Pastor Paulo César no dia do falecimento de sua mamãe, logo, logo, fiquei preocupado com a senhora, pois, sabia de seu carinho e amor pela sua mãe.

    Lamento não ter tido a oportunidade de compartilhar com você e com todos o último adeus a sua querida mãe, pois, estava em Teresópolis ´na igreja do querido Pastor Geremias do Couto levando àgua às vítimas da enchente.

    Sei exatamente a dor que a senhora está sentindo, eu também vivi essa dura experiência há 4 anos atrás, diferente de sua mãe, a minha partiu para a eternidade aos 58 anos de idade. Sinto a falta dela até hoje.

    Desejo apenas que você juntamente com todos os seus irmãos possam suportar essa fase difícil, esperando as muitas consolações do Espírito Santo.

    Um grande abraço,

    No Amor de Cristo,

    Pastor Flavio Constantino.

    ResponderExcluir
  3. Querida,

    Quão bom é podermos nos despedir dos nossos amados, amando-os mais ainda a cada dia pelas maravilhosas lembranças que nos deixaram. Poder lembrar deles não com a mente, mas com o coração, com o amor que eles nos transferem e ensinam.
    Que Jesus te abençoe ricamente.
    bjs
    Angela

    ResponderExcluir
  4. Querida Denise,
    Você e sua família são especiais para nós. E, nos sentimos honrados de estarmos no sepultamento desta mulher valorosa sempre ativa na Obra do Senhor, irmã "Dilma", como todos a conheciam, que hoje está no Lar Celestial. Glória a Deus!
    Deus continue abençoando sua linda família.
    Um grande beijo,
    Prs. Ebenézer e Delma Fontes

    ResponderExcluir
  5. Querida fiquei sabendo só hoje,sei que nessa hora só Deus pra nos confortar.Que Deus continue te abençoando e confortando os seus.Perdi uma tia tb na mesma semana,e minha cunhada foi atropelada na segunda passada e ainda está internada.Bjs entro em contato depois com vcs.

    ResponderExcluir
  6. Querida Denise,

    Sinto muito pela sua perda. Amor de mae eh unconditional and irreplaceable. Mas como voce mesma falou, Deus nos prepara para tudo e esta sempre ao nosso lado para nos confortar e guiar. Que o amor da sua mae continue fluindo em voce.

    ResponderExcluir